Novidades

Anitta brilha como poderosa estrela pop em show no Rock in Rio

♪ Rock in Rio 2019 – Sim, teve playback. Ou “voz de apoio”, como Anitta prefere caracterizar a pré-gravada base vocal utilizada pela cantora carioca na apresentação que abriu a programação do palco Mundo do Rock in Rio 2019 na noite de sábado, 5 de outubro.

Comum em espetáculos de música pop em que a dança e o aparato visual importam tanto ou mais do que o canto, o uso desse recurso jamais empanou o brilho da apresentação de Anitta no festival.

Ausência sentida pelo público no Rock in Rio 2017, a artista brilhou como poderosa estrela pop do Brasil na corrente edição de 2019.

Anitta apresentou basicamente um show de funk no roteiro em que resumiu a própria trajetória artística no universo pop. História que começou a ganhar relevo em 2012.

Mesmo que tenha apresentado canção que evoca a aura da bossa nova (Você mentiu, gravada com Caetano Veloso para o trilíngue álbum Kisses, lançado pela artista em abril deste ano de 2019) e música de cepa pop gravada em disco de Silva (Fica tudo bem, de 2018), além do petardo pop gravado com o trio Major Lazer e Pabllo Vittar (Sua cara, de 2017), Anitta rebolou e se portou basicamente no palco Mundo como uma funkeira.

Não por acaso, o cenário do show aludia ao paredão da Furacão 2000, equipe de funk com a qual Anitta deu os primeiros passos profissionais nos bailes da pesada. Também não por acaso, MC Andinho abriu a apresentação, citando músicas já históricas como o recorrente Rap da felicidade (1995) e mandando recado para quem destila preconceito contra o funk.

Anitta resume a própria trajetória no universo pop ao longo de uma hora de show no Rock in Rio 2019 — Foto: Marcelo Brandt / G1

Anitta resume a própria trajetória no universo pop ao longo de uma hora de show no Rock in Rio 2019 — Foto: Marcelo Brandt / G1

Para quem sequer conseguiu passar o som por motivos alheios à vontade da cantora, Anitta deu show de profissionalismo. Esteticamente impecável, a apresentação da artista mostrou – do ponto de vista musical – que Anitta soa cada vez mais calculista à medida em que se aproxima do pop latino contemporâneo. A música em espanhol Paradinha (2017) exemplificou no roteiro a migração do som da cantora para outros universos e idiomas.

Contudo, havia a intenção declarada de valorizar o funk no principal palco do Rock in Rio. Por isso, o batidão imperou no início e no fim de roteiro que incluiu Show das poderosas (2013), Vai malandra (2017) e Favela chegou (2019), o funk de 150 bpm recém-gravado por Anitta com Ludmilla, colega de geração pop.

Música também gravada por Anitta com Ludmilla, Onda diferente (2019) falhou como gran finale da apresentação. Contudo, ao fim do show, pairou no ar uma sensação de vitória. A vitória de Anitta, poderosa estrela pop que abriu o palco Mundo com status e público de headliner.

Deixe seu comentário